Em época de dúvidas sobre varíola dos macacos, especialistas dão esclarecimento

Quem acompanha os noticiários pela TV ou internet, tem se deparado com constantes notícias sobre a Varíola do Macaco.

Infecção ainda pouco conhecida, mas descoberta há muitos anos, traz incertezas sobre prevenção, diagnóstico e tratamento.

O vírus Monkeypox causa uma infecção com sintomas semelhantes à varíola comum, porém de menor gravidade. A varíola foi erradicada em 1980, mas a varíola dos macacos infecta pessoas em todos os continentes. De acordo com levantamento realizado pela CNN, ao menos 64 países confirmaram casos da doença.

A principal forma de transmissão da varíola dos macacos é por meio do contato com as lesões da pele, secreções respiratórias ou por objetos pessoais contaminados, como roupas de cama e de banho, de pacientes infectados.

Atenção com “Fake News” nas redes sociais, pois é um mito dizer que a infeção só afeta um grupo de pessoas que têm comportamento específico, ou de uma cultura em particular. O vírus da varíola dos macacos pode afetar qualquer pessoa, de qualquer etnia, ou orientação sexual, independentemente de sua origem.

É mito que todas as pessoas devem ser vacinadas contra a varíola neste primeiro momento. Para organização da rede de saúde, a OMS recomenda a vacinação contra a varíola para grupos prioritários, incluindo profissionais de saúde em risco, equipes de laboratório que atuam com ortopoxvírus (gênero que o vírus pertence), especialistas em análises clínicas que realizam diagnóstico infectados, pessoas que tiveram contato com casos confirmados, entre outros grupos que podem ser convocados.

É verdade que a maior parte dos sintomas tende a desaparecer espontaneamente. Os cuidados clínicos para a varíola dos macacos são voltados para o alívio dos sintomas, além do gerenciamento de complicações e prevenção de sequelas a longo prazo. Os pacientes devem receber líquidos e alimentos para manter o estado nutricional adequado. Infecções bacterianas secundárias devem ser tratadas conforme indicado.

Essa infecção é ainda é algo muito novo, mas é sempre bom lembrar de seguir as orientações da OMS e realizar o diagnóstico o mais breve possível.

A Molecular Biotecnologia segue no seu compromisso de trazer produtos para suprir os laboratórios de forma rápida e com qualidade. Nós temos os kits para diagnóstico da varíola do macaco, pela tecnologia de PCR em tempo real, com sondas para o alvo MPXV.  O teste já foi validado em grandes centros de referência para estudo de zoonoses. Nosso kit é ideal para um resultado rápido, preciso, eficiente, e de alta sensibilidade.

Quer saber mais? Fale agora mesmo com um de nossos consultores especializados e garanta os kits para o seu laboratório.

Assessoria Científica:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Picture of Dra.Thais Nani

Dra.Thais Nani

Assessoria Científica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *